Publicado em 07/06/2016 às 15h47

Cidades

Rodeio Show 2016: “Os barraqueiros me relataram a cobrança indevida”

Em entrevista ao Jornal Expresso, o blogueiro Fernando Rodrigues rebate a críticas do secretário de finanças de Senador Canedo, Júnior...

Fernando Rodrigues rebate

Em entrevista ao Jornal Expresso, o blogueiro Fernando Rodrigues rebate a críticas do secretário de finanças de Senador Canedo, Júnior Caldas e reforça a denúncia sobre caixa dois durante a realização do Rodeio Show no município. Segundo ele, houve cobrança indevida para os barraqueiros que participaram do evento. Os indícios de fraude foram repassados a Polícia Civil e Ministério Público que estão apurando o caso.

Jornal Expresso – O secretário de Finanças de Senador Canedo, Júnior Caldas, rebate suas denúncias e diz que é vítima de calúnia. Você confirma as denúncias sobre o desvio de dinheiro no Rodeio Show?

Fernando Rodrigues – Sim. Houve cobrança irregular aos barraqueiros. Todos os relatos foram entregues ao Ministério Público. Praticamente tudo que o secretário (de Finanças, Júnior Caldas) disse na entrevista não é verdade. O secretário tem duas versões, ele é dissimulado no que fala. É orientado por advogados e familiares. Ele fala que eu não tenho residência em Senador Canedo. Como? Moro aqui há 29 anos e tenho documentos que provem a minha residência no município.

Jornal Expresso – Nas suas denúncias, você afirma que houve negociação para a liberação das barracas no Rodeio Show de Senador Canedo. Explique esse caso.

Fernando Rodrigues – A essa altura do campeonato, só resta ao secretário (Júnior Caldas) negar qualquer acusação. Mas os barraqueiros me relataram que havia uma taxa para cada barraca, de R$ 1.800,00 e quando o evento começou, um funcionário do secretário de Finanças conhecido como Mosquito, cobrou R$ 2.500,00 de cada dono de barraca.  O Mosquito fez o recolhimento do dinheiro e teria repassado recibos escritos a mão aos comerciantes. Esses documentos estão com o Ministério Público.

Jornal Expresso – Quem é Mosquito? Não conseguimos identificar esse funcionário na Prefeitura.

Fernando Rodrigues – Mosquito é o apelido do Wendel, que trabalha como motorista na Prefeitura. Todo ano, ele tem a função desviada na época do Rodeio Show para fazer o recolhimento deste dinheiro. Neste ano, após as denúncias foram encontrados R$ 42 mil dentro de uma meia, na casa do Mosquito. Não tem como o secretário falar que não conhece o Mosquito. Tem fotos dos dois juntos em festas. A cidade toda sabe que o Mosquito é funcionário da Prefeitura.

Jornal Expresso – Quantos barraqueiros te procuraram para fazer denúncias?

Fernando Rodrigues – Um barraqueiro fez a denúncia pra mim. Ele relatou que foi extorquido e que a cobrança havia sido irregular. Então, eu procurei o Ministério Público e falei com o promotor Glauber, que me orientou a buscar mais informações. Falei com outros barraqueiros que confirmaram a denúncia, gravaram vídeos com seus relatos e mostraram os recibos escritos a mão. Não tem como contestar. Pode me chamar de louco, de doido, posso até ser doido, mas cego, surdo e mudo eu não sou. Tenho vídeos dos barraqueiros  afirmando que o secretário de finanças fazia parte do esquema.

Jornal Expresso – Onde estão esses vídeos?

Fernando Rodrigues – Encaminhei para os investigadores. Tudo que falo tenho provas. Tenho em vídeo gravado de um senhor relatando que iria passar para o secretária o valor de R$ 1.800,00, mas depois a cobrança veio de R$ 2.500,00. O barraqueiro mostrou todos os comprovantes feitos a mão para que este dinheiro não chegasse aos cofres públicos. Fizeram um verdadeiro caixa dois feito no Rodeio Show.

Jornal Expresso – Nessas denúncias, os barraqueiros citaram a participação do prefeito Misael Oliveira?

Fernando Rodrigues – O prefeito Misael Oliveira não foi citado nenhuma vez. Não teria porque mentir sobre isso, porque sempre faço denúncias contra a administração.  Após as denúncias que chegaram a mim, o prefeito ficou ciente e foi atrás do Mosquito. O Mosquito não aguentou a pressão e entregou o esquema e na casa dele foram encontrados os R$ 42 mil.

Jornal Expresso – Você foi amigo do secretário Júnior Caldas?

Fernando Rodrigues – Tivemos uma amizade de 12 anos. Quem o conhece, sabe que ele mente para se safar. Participei de várias festas na casa dele e de amigos e também de eventos com mulheres. Cheguei a prestar serviço ao laticínio que ele tinha. Mas nunca tivemos nenhum contato comercial. Isso é verdade.  Resolvi me afastar dele quando vi que falava mal de mim pelas costas e das minhas amigas. Percebi que a nossa amizade era só por interesse dele em mulheres. Ele sabe que eu sou uma pessoa influente, com várias amizades com meninas aqui na cidade. Ele me chamava para atrair mais convidados para seus eventos, já que ele não é tão popular assim na cidade. Quando descobri isso, resolvi romper esse tipo de amizade com ele.

Jornal Expresso – Há pessoas que falam que você faz as denúncias contra pessoas públicas em Senador Canedo por interesse. Você recebe para fazer as denúncias?

Fernando Rodrigues – Não recebo de ninguém e desafio qualquer pessoa a provar que já recebi algum dinheiro de alguém. Eu faço o dever de qualquer cidadão de reclamar das mazelas e desvios de dinheiro público. Eu estudo, faço curso de piloto e não vivo disso. Só faço o meu papel de cidadão. Enquanto, ele (Júnior Caldas) for secretário, eu vou questioná-lo quando houver irregularidades. No dia em que deixar a cadeira, não terá mais interesse para mim. Enquanto ele continuar fazendo essas mazelas, como os desvios no Rodeio Show e furtar água do município, eu vou denunciar. É meu dever de cidadão.

 

Colunistas



Últimas Notícias