Publicado em 19/10/2016 às 10h14

Cidades

Professor nota 10

O educador foi um dos selecionados no prêmio organizado pela Rede Globo e Editora Abril. O projeto desenvolvido vivência a matemática na produção de games

O projeto “Matemática e Games, eis a questão?” do professor Greiton Toledo foi finalista do prêmio Educador Nota 10. A iniciativa da Editora Abril e Rede Globo recebeu este ano quase 5 mil projetos de ações educativas realizadas no ensino regular, do 1º ao 9º ano. O projeto do professor goiano foi realizado na escola municipal Irmã Catarina Jardim Miranda, ficou entre os dez selecionados e já foi premiado com um vale presente de 15 mil reais para o educador. Colocação que deu direito também a participação na seleção nacional, que poderá dar ao professor o título de Educador Nota 10 e bonificação financeira para a instituição de ensino. A premiação final vai ser no dia 17 de outubro, em São Paulo.

A ideia foi trazida pelo professor para sala de aula em 2015 com os alunos do 6º ano. As atividades do professor Greiton Toledo foram realizadas como atividades extraclasse e tinham uma forma diferente de vivenciar a matemática. Greiton é formado em Matemática, pela Universidade Federal de Goiás, onde também faz mestrado em Matemática Computacional. A curiosidade dos alunos sobre como são criados os games trouxe ao professor a oportunidade de desmistificar a matemática como algo não usual e de difícil aprendizado. Com ajuda da comunidade escolar foi criado o “Mattics”, um grupo de desenvolvedores de games.

O projeto foi bem aceito pelos alunos, que de forma lúdica, sendo protagonistas do conhecimento desenvolveram em cinco meses os primeiros games, utilizando vários elementos da matemática, inclusive os que ainda não estão no conteúdo programático do 6º ano. Alunos de 10 a 12 anos construíram jogos utilizando a linguagem Scratch.

Organização, vivência em grupo, argumentação foram alguns tópicos ensinados as crianças, que entre as atividades realizadas tem um caderno de memória, onde narra o que vivenciou durante os encontros, usando linguagem escrita e também desenhos. Os jogos, como o do Macaco Coletor, sempre tem temáticas educativas e são escolhidos pelos alunos.

Participação dos alunos
Devido a grande aceitação do projeto, os alunos do grupo Mattics continuam no desenvolvimento de games, hoje como alunos do 7º ano. Muitos deles são medalhistas das Olimpíadas de Matemática. Com 25 alunos participantes, foram realizados 25 projetos, que são desenvolvidos por meio de encontros, onde os alunos aumentam todas as ações de forma individual e coletiva.

A estudante Sara Castro Coelho, junto com a sua irmã gêmea Júlia Castro Coelho, é uma das participantes do Mattics. As duas disseram que antes da participação do projeto via a matemática com outros olhos. “Muito bom ser capaz de fazer um jogo, no início não acreditava que eu iria conseguir”, ressalta a estudante. Entusiasmo compartilhado pelos estudantes Eric Fernandes Souza e João Pedro Santana, ambos com 12 anos. Além de muitas combinações e cálculos matemáticos aprendidos, eles compartilham grande amizade pelo professor, que ganhou dos alunos dois jogos em homenagem ao prêmio recebido.

O grupo participou de atividades com pesquisadores da Universidade Federal de Goiás, em troca de experiências sobre uso da matéria no desenvolvimento de games. O professor Greiton Toledo participará da grande final em outubro, em São Paulo, porém já se sente premiado por ter acreditado nos seus alunos. “A matemática é construída por necessidades humanas, porém nada motiva mais do que ver a matemática presente como uma forma de pensamento, de construção de conhecimento”, garante.