Publicado em 23/06/2016 às 17h15

Cidades

Servidores da Celg entram em greve

Servidores da Celg entram em greve apenas os serviços essenciais continuam funcionando, como o atendimento de urgência e emergência. O...

Manifestaram cercaram a entrada da sede da companhia.

Servidores da Celg entram em greve apenas os serviços essenciais continuam funcionando, como o atendimento de urgência e emergência.

O atendimento nos 0800 e nas Unidades Vapt Vupt também seguem normalmente.

O Stiueg ainda garantiu que não serão feitos cortes de energia e que as religações continuam.

A sede da Celg Distribuição S.A, no Jardim Goiás, amanheceu hoje de portas fechadas. No local, servidores bloquearam a entrada com arames e uma tenda, que agora reúnem dezenas de funcionários.

Em greve desde quarta-feira (22), os servidores reivindicam o cumprimento da determinação judicial que pede a contratação imediata dos 941 candidatos que estão em cadastro reserva. O concurso público foi realizado no final de 2014.

Segundo diretor administrativo do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas no Estado de Goiás (Stiueg), Heliomar Palhares Pedrosa, os servidores da Celg estão com problemas emocionais e de saúde por conta da sobrecarga de trabalho, além do frequente assédio moral de alguns consumidores. “Os funcionários estão com altos índices de absenteísmo, doenças psicossomáticas, consultas a psicólogos e stress porque parte da sociedade nos consideram responsáveis pela corrupção”, desabafou.

Em nota, a Celg Distribuição S.A. informou que vem buscando uma “negociação coletiva pautada na realidade econômica em que se encontra, de modo a conciliar as necessidades dos seus empregados e a capacidade financeira da empresa.”

A Companhia ainda afirmou que apresentou, na última quinta-feira (16), uma proposta aos trabalhadores, mas, segundo a nota, a oferta da Celg, até o momento, não foi respondida oficialmente pelo Sindicato.

Colunistas



Últimas Notícias