Publicado em 26/02/2016 às 13h21

Cidades

Polícia prende suspeita de matar a estudante Nathália Zucatelli

Os comandos da Polícia Militar e Civil prenderam na noite da quinta-feira, dia 25, a suspeita pela morte da estudante...

Foto: André Saddi

Os comandos da Polícia Militar e Civil prenderam na noite da quinta-feira, dia 25, a suspeita pela morte da estudante de 18 anos, Nathália Zucatelli. Segundo os policiais, o crime foi cometido por Nathália Gonçalves de Souza, 20 anos, autora do disparo e que carrega o mesmo nome da vítima.

Além de Nathália Gonçalves, dois homens estão envolvidos no crime: o motoboy que pilotava a moto no momento do crime, Matheus Queiroz Aguiar, de 21 anos e que ainda está foragido; e Fernando Rodrigues Junior, 27, que é dono da arma de fogo usada por Nathália Gonçalves e que também foi preso. Todas as informações foram repassadas durante coletiva na manhã desta sexta-feira, dia 26, no auditório da Segurança Pública.

O caso
Na noite da última segunda-feira, dia 22, a estudante Nathália Zucatelli, que tinha o sonho de ser médica, estava saindo do cursinho no Setor Marista quando foi abordada por um casal em uma motocicleta preta. Na garupa, Nathália Gonçalves, que mesmo sem a reação da vítima, disparou contra a jovem que não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Inicialmente, a suspeita disse que o disparo saiu acidentalmente quando o motociclista “arrancou” de forma brusca com a moto. Segundo a polícia, depois ela confessou que a arma já estava engatilhada e atirou porque quis. Ela revelou que Matheus foi quem escolheu a vítima e ao ser abordada, a estudante não reagiu e virou as costas após ser assaltada.

De acordo com depoimento gravado pela Polícia, Nathália conta que estava precisando de dinheiro e por isso cometeu o crime. Neste mesmo dia, Nathália já havia cometido outros três roubos. Ela tem passagem por receptação e foi solta em setembro do ano passado.

As investigações
A elucidação do crime foi graças a ajuda de um cidadão, que anotou a placa da moto e repassou a uma equipe de polícia que trabalha no Jardim América. Os policiais ainda contaram com imagens de câmeras da região. Ao ter esses dados em mãos, o Serviço de Inteligência da Polícia Militar começou a investigação e descobriu que a suspeita foi de Goiânia para Anápolis. Na quinta-feira, dia 25, ao retornar a capital, vindo de ônibus, ela seguiu para a casa da mãe, no Jardim América. Quando Nathália chegou na residência foi presa.

Foram expedidos mandados de prisão temporária para os suspeitos, que têm validade de 30 dias, e depois vai converter em preventiva, que não tem prazo para expirar. Agora as polícias disseram que vão analisar as imagens novamente para mais detalhes, ouvir mais possíveis testemunhas, fazer o exame da balística para confirmar tecnicamente se a arma apresentada é a que foi utilizada, e localizar Matheus para que se conclua com êxito a investigação. (Goiás Agora)

Em vídeo disponibilizado pela polícia, Natália Gonçalves confessa o crime e afirma que a jovem não reagiu ao assalto. “A reação dela foi normal. Virou as costas e saiu. Foi quando a moto acelerou e eu assustei”, disse a suspeita, indicando que o disparo contra a vítima teria sido acidental.