Publicado em 26/06/2019 às 11h17

Cidades

Igreja goiana promove primeiro seminário de combate à violência doméstica no ambiente evangélico do Brasil

O enfrentamento da violência contra a mulher se tornou um tema para debate dentro de uma igreja evangélica de Goiás....

O enfrentamento da violência contra a mulher se tornou um tema para debate dentro de uma igreja evangélica de Goiás. A Assembleia de Deus Pedro Ludovico, em Goiânia, também conhecida como Adpel, é a primeira desta denominação religiosa no País a promover um evento cristão evangélico de combate às agressões físicas e psicológicas que ocorrem no ambiente doméstico.

O seminário “A Igreja contra violência doméstica” será promovido na Matriz da Adpel, nestas quarta e quinta-feiras, às 19h30. Por iniciativa pioneira do pastor presidente, Neuton Abreu, foi criado um núcleo com esse enfoque na ADPEL, voltado a receber relatos, acompanhar casos de violência doméstica e também prevenir essas ocorrências. A socióloga e pesquisadora Aava Santiago, designada para coordenar este núcleo, idealizou o seminário, que será realizado em parceria com a defensora pública Gabriela Hamdan, que também é a coordenadora do Núcleo Especial de Defesa dos Direitos das Mulheres (NUDEM), da Defensoria Pública do Estado de Goiás.

Segundo o pastor Neuton Abreu, a iniciativa surgiu das demandas do cotidiano que suscitaram a urgência para que as igrejas evangélicas se mobilizem em direção ao atendimento e acolhimento das mulheres cristãs que são vítimas de situações abusivas.

A socióloga e pesquisadora Aava Santiago explica que o objetivo do seminário é habilitar pastores, pastoras e líderes a identificar situações de violência, encorajar a denúncia e acolher as vítimas, sob uma perspectiva cristã. Ela relata que os casos de agressões contra mulheres em ambiente evangélico foram catalogados por pesquisas de abrangência nacional, que apontam as dificuldades sofridas por essas mulheres, por falta de orientação e amparo por parte de suas congregações de fé.

Estudo da da Universidade Mackenzie aponta que 40% das mulheres vítimas de agressão física ou verbal são evangélicas. “Muitas vezes essas mulheres não denunciam por medo de represálias na comunidade eclesiástica ou por orientações equivocadas de que uma evangélica não deve denunciar um marido violento”.

Aava Santiago, que também é membro da igreja, diz que este evento é inédito, mas ressalta que valores como justiça, respeito e amor ao próximo são pilares da vida de um cristão. Durante o seminário, ela vai fazer uma abordagem sobre aspectos teológicos e sociais das vivências das mulheres que podem resultar em situações violentas.

A defensora pública Gabriela Hamdan, cujo trabalho na Defensoria Pública já vem habilitando diversos atores sociais a lidarem com o tema, celebra a importância do evento e ressalta que muitas vítimas que procuram o NUDEM se professam evangélicas. No seminário, ela vai falar sobre os desafios da denúncia, bem como dar uma série de orientações práticas de como as lideranças da igreja podem contribuir com as famílias para por fim em quadros de violência.

 ANOTE

Seminário “A Igreja contra violência doméstica”
Data: 26 e 27 de junho (quarta e quinta-feiras)
Local: sede da Assembleia de Deus, do setor Pedro Ludovico (Adpel)
Endereço: Rua 1.038 esq. com Rua 1.034, Setor Pedro Ludovico
Horário: 19h30
Entrada gratuita

Colunistas



Últimas Notícias